sábado, 29 de agosto de 2009

Sem título

Eu não quero pra mim uma pessoa que todo mundo ame, afinal todo mundo vai "sofrer" junto e sofrer coletivo não é uma coisa muito legal.
Sempre quis pra mim uma pessoa única, que pudesse me proporcionar os momentos mais únicos, que me fizesse chorar tanto de alegria como de tristeza ao lembrar se um simples fato.
tive muitas pessoas em minha vida, pessoas que ao me olharem me enlouqueciam, me deixavam com gosto de quero mais e me faziam sonhar acordada, pessoas que deixavam em mim momentos pra lembrar e até compartilhar se me fosse conveniente...
A vida tem dessas coisas, as veses você quer o inesperado, o tal, o "coisa"... o tudo!


Estou aqui, na madrugada na casa de uma amiga, olhando pra pessoas diversificadas, que me proporcionam momentos felizes e que vou levar pro resto da minha vida. Querendo um tal ser que não consigo saber quem. Feliz, porem sozinha em meio de muitas pessoas.

Beber me faz bem por segundos e me faz escrever bem por horas, se eu souber escrever e souber como expressar.

Sim, estou feliz, mas como sempre, me falta algo. E fim, vou beber e procurar esquecer.

Boa noite!

sábado, 22 de agosto de 2009

Dois ♪

Como dois estranhos, cada um na sua estrada, nos deparamos, numa esquina, num lugar comum. E aí? Quais são seus planos? Eu até que tenho vários. Se me acompanhar, no caminho eu posso te contar. E mesmo assim, eu queria te perguntar, se você tem ai contigo alguma coisa pra me dar, se tem espaço de sobra no seu coração. Quer levar minha bagagem ou não? E pelo visto, vou te inserir na minha paisagem você vai me ensinar as suas verdades e se pensar, a gente já queria tudo isso desde inicio. De dia, vou me mostrar de longe. De noite, você verá de perto. O certo e o incerto, a gente vai saber. E mesmo assim, queria te contar, que eu talvez tenho aqui comigo, eu tenho alguma coisa pra te dar. Tem espaço de sobra no meu coração. Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão. E mesmo assim, queria te contar, que eu tenho aqui comigo alguma coisa pra te dar. Tem espaço de sobra no meu coração. Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão.





Sempre que escuto esse musica eu me lembro de você, nem sei porque :x
Foi tudo tão rápido e ao mesmo tempo tão devagar.
Eu queria esquecer que desejo você quando você não esta por perto, e que mesmo sem querer sinto sua falta; descobri em você algo que me faz tão bem, algo que me acalma.
Num piscar de olhos tirasse tudo de mim, algo que eu nem sequer possui, mas já sentia que ia ser meu.










Eu tento me esconder atrás das minhas verdades
e assim consigo dar um castigo a mim própria.
Quando eu digo não, tenho que respeitar.
É a lei da minha sobrevivência;

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Matuto no cinema

E o matuto, rapaz...
Anafalbeto de pai e mãe... e parteira
E sai do sertão pra capital pra assistir um filme estrangeiro legendado, quando ele volta pro sertão, mas ele num conta o filme todinho?

'Má rapai, eu fui lá na capitá rapai, eu assisti um filme altamente internacioná, pense num filme internacioná!'
E tem uma coisa: um filme mafioso...
Ói tinha dois atista: tinha o atista que sofria e o atista que salvava.
Meu cumpadi o atista que sufria: pense num cabra corajoso!
Rapai, o caba num tinha medo de nada não rapai!
Rapaz, os bandido!
Os bandido pirigoso que só buchada azeda!
Invocado que só um fiscal de gafiera sério que nem um porco mijano!
Tinha o dedo da grussura de um cabo de foimão!
Amarraro o atista com imbira!
E tem uma coisa: imbira dos Estado Zunido, num tem quem se solte não rapaiz!
Amarraro o atista com imbira, butaro o caba sentado a força numa cadera, ai chego o bandido, buto o dedo na cara do atista e disse: num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá.
Tá pensano que atista teve medo rapaiz?
O atista amarrado com imbira rapai, teve que ouvi tudinho, mas muito do tranquili, olhô pa cara do bandido assim e disse: num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá o quê mermão???
Mas rapaiz... esse bandido inchô feito um cururu no sal, num sabe? isfregô o dedo na cara dele assim e disse: num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá, seu fila da puta!!!
Tu tá pensano que o atista teve medo? oxe, amarrado com imbira, do jeito que tava, ficô muito do tranquili, olhô assim pro bandido e disse: num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá o carai!!!
Mas meu cumpadi, esse bandido pegô um ar, pense numa pegada de ar!
Mas raái, foi uma pegada de ar tão mudida do poico!
Ai puxô uma chibata feita de virola de pneu de caminhão, num sabe, mais cumprida de que uma língua de manicure, deu-lhe uma chibatada tão aparetada a um coice de besta parida, que ficô iscrito assim da taba dos quexo pa porta da orelha do individuo: FIRESTONE
Eu sei que nessa hora, no mei dos bandido, tinha um que era do time do atista, rapai do time da gente, num sabe?
E ele tava camuflado feito rapariga de pastô: num tinha quem desconfiasse, rapaiz!
Camuflado la por dento, e ele tinha um relógio, puxado pa telefone, ai ele foi prum pé de parede cum relógio dele aí passô o bizu pa puliça que tava lá em baixo ele pégô o relógio e disse: num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá, contô tudinho à puliça a puliça lá em baxo nos carro uvindo tudo pelos radio e a puliça dos estado zunido, num se veste de puliça não! se veste de adevogado!
Aí a puliça dento dos carro só fez pegá o rádio e chamá os carro tudim dos estado zunido rapaiz: acunhe, acunhe, acunhe, acunhe, todos os carro, acunhe, que o negocio é serio, acunhe, acunhe, acunhe, acunhe, aí os carro acunharo, os carro acunharo, acunharo, aí era mais carro em cima do prédio, de quê romero em cima de Pade Ciço. O prédio, rapai era um prédio grande, tinha uns 2 ou 3 andá, ou era um colégio de frera, ou era uma prefeitura, eu sei que num tinha quem entrasse: um prédio todo de vrido, infeitado feito pintiadera de rapariga, num sabe? aí a puliça tome corda, tome corda, tome corda, tome corda, quando a gente pensava que era a puliça que ia subi por fora do predio pra salvá o atista, aí veio o momento mais arrepiadô do filme, rapaiz! foi quando chegô o atista principal, o atista salvadô! e ele vêi num avião daquele, daquele avião que tem uma penera em cima, num sabe? aí o avião vei e o avião num vuava não: era parado, viu! o avião ficô parado em cima da prefeitura, pela capota de vrido a gente já via o atista, rapaiz o atista forte com os peitão, 2 cinturão de bala, uma ispingarda da grussura dum cano de esgoto, rapai, aí o atista fico assim na porta do avião. Ó o nome do atista: Arnô Saijinegue!
Agora, num é esses arnô saijinegue do sertão, que dá no cu de todo mundo não! é Arnô Saijinegue importado, ou é da Chequilováquia, ou é da Bolívia, tá entendendo?
Eu sei que o Arnô Saijinegue ficô na porta do avião, aí o chofer do avião olhô pra ele e disse:
acunhe! Pode pulá! ai ele pulô la de cima, bateu no telhado, furô a laje, bateu mermo no lugá onde o atista tava preso com os bandido, pego os bandido tudo desprevinido, comendo cuzcuz com
leite, rapaiz, eu sei que nessa hora, o atista pegô a ispingarda disse:
num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá,
num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá,
ói ele matô tudinho! aí apariceu mais bandido, e foi briga de sê midida a metro! ele deu um tabefe no cor da orelha dum caba lá chamado Mané Capado, que ele borbuletô uns 2 palmo e caiu no chão feito uma jaca mole, aí eve um bandido, rapaiz, que homilhô o atista com uma dedada aonde as costa muda de nome. Meu cumpadi, esse homi ofendido na região glútea virô uma fera e entre a rapideiz da dedada e a imediatidade do êpa, deu-lhe um berro nas oiça do sujeito que iscurrego na froxura e caiu sentado.
Nessa hora, meu cumpadi, o atista partiu pra cima dele com um gênio de 150 siri dento de uma lata de querosene, deu-le um sopapo no serrote dos dente, que chuveu canino, molar, e incisivo, por 3 dia no sítio Boca Funda.
Aí nessa hora, meu cumpadi, o bandido principal saiu num derrapo de velocidade, ai o atistao tista deu-lhe um chuvaréu de bala, meu cumpadi, que a gente teve que se abaxá dento do cinema, aquelas letrinha que passa lá no filme ele derrubô umas 140, e eu ainda peguei umas 4: taqui pra você vê!



Jessiêr Quirino

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Até mas ver

Eu estava sem criatividade pra postar aqui, e agora eu NÃO posso mas.
Só volto semana que vem ou então esse fim de semana.
Tenho que recuperar minhas notas. Estou completamente ferrada.
Mas é só estudar :)

Beijos pra que visita isso aqui;
alguém visita?

haushauhsuahushauhsua

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

You Are Not Alone

Esse carai dessa música que num sai da cabeça.
Já num bastava a professora de inglês encarnar nela na aula,
agora toda vez que eu vou escutar musica, ta passando em alguma estação --'
Já já eu aprendo a escrever ela sem erros e a cantar perfeitamente.
uashuahsuahushaushauhsuahsuahsuah


Pois é Michael Jackson, tas fazendo mas sucesso morto do que vivo,
se é que você morreu mesmo.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Pirra

Assim como a terra que carrega o nome África
O amor está na minha mente.
É para todos, não importa de onde você é,
Amor ultrapassa todas as barreiras.
Como o sentimento de todas as estações mudando,
O amor é uma memória
E nestes últimos dias, quando a iniquidade surpreende,
Verdadeiro amor fala.
Eu preciso de amor verdadeiro
Você sabe o que você significa para mim
Demonstra como eu vivo e como eu respiro
No vale da sombra, eu sei que você estará.
Eu defendo, eu domino a morte
E eu domino o inimigo.
O que é o amor realmente se ela afeta apenas um aspecto da vida?
Isso é como um músico que só aceita o seu próprio tipo musical.
Isso é como um pregador que apenas respeita domingo de manhã, e não sábado à noite
Isso é como um soldado pode vir a refletir,
Esse amor é mais do que marido e esposa.
Em uma época de abundância, Jah irá me manter forte.
As coisas chegarão e eu me manterei legal, yeah,
Jah irá me manter forte.
Quando meu copo estiver vazio,
Jah irá me manter forte.
Quando meu copo estiver cheio, yeah,
Jah me manterá a partir de sua tentação.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Cachaça Mecânica ♪

Vendeu seu terno, seu relógio e sua alma
E até o santo ele vendeu com muita fé
Comprou fiado pra fazer sua mortalha
Tomou um gole de cachaça e deu no pé
Mariazinha ainda viu joão no mato
Matando um gato pra vestir seu tamborim
E aquela tarde já bem tarde comentava
Lá vai um homem se acabar até o fim
João bebeu toda cachaça da cidade
Bateu com força em todo bumbo que ele via
Gastou seu bolso mas sambou desesperado
Comeu confete, serpentina e a fantasia
Levou um tombo bem no meio da avenida
Desconfiado que outro gole não bebia
Dormiu no tombo e foi pisado pela escola
Morreu de samba, de cachaça e de folia
Tanto ele investiu na brincadeira
Pra tudo tudo se acabar na terça-feira.
Erasmo Carlos

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Conversas

Por que tu faz tanta questão de me perguntar ou dizer alguma coisa, se tudo o que e digo é o que você não quer escutar?

Acho que em qualquer tipo de relacionamento tem que rolar uma coisa chamada dialogo, com ele você pode ter uma amizade depois do namoro ou de uma simples ficada; como também pode aperfeiçoar e trocar ideias sem pagar nada.
Eu falo, eu faço, e eu pergunto na hora que eu tiver afim, se achou ruim me diga, cabe a mim querer modificar ou não.
Sou chata sim, com quem quero ou até com todos, mas digamos que eu saiba levar essa chatice comigo sem prejudicar ninguém, nem a mim mesma.
Não quero pra você a minha vida, ou meu jeito de pensar e agir, eu sou 100% e você é só 1. Sabes que não vai dar certo? Sabes que não vai levar a lugar algum? Então não continue, seja apenas você, com esse jeito meio egoísta de ser, mas não tente não ser você só pra ter ou fazer alguém feliz.

Em tudo o que escrevi deve ter mais da metade da compreensão e de todo o conhecimento que eu sei que tenho sobre você. E com certeza TUDO, em cada linha, palavra ou letra tem boa parte de tudo o que eu sou. Que você pode até odiar, mas que te faz feliz.

A droga de um dialogo as veses faz tão bem :)

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Quem disse que ser adulto é fácil ?

Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:
- Ah, terminei o namoro...
- Nossa, estavam juntos há tanto tempo...
- Cinco anos... que pena... acabou...
- é... não deu certo...
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.

E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos essa coisa completa.
Às vezes ela é fiel, mas é devagar na cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível.
Tudo junto, não vamos encontrar.
Perceba qual o aspecto mais importante para você e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.

Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante... e se o beijo bate... se joga... se não bate... mais um Martini, por favor... e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não brigue, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar... ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob pressão?
O legal é alguém que está com você, só por você. E vice versa.
Não fique com alguém por pena. Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração...
Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo.
E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse...
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
E nem todo sexo bom é para descartar... Ou se apaixonar... Ou se culpar...
Enfim… Quem disse que ser adulto é fácil?

Arnaldo Jabor

domingo, 9 de agosto de 2009

Eu.amo.vocês.mesmo.sem.querer


1 ano, não é um mês e muito menos uma semana.
Todo esse tempo perto de vocês me fez enxergar todas as verdades possíveis, existentes entre nós. Brigas e tudo mais, só é um conjunto perfeito do que é a nossa amizade.
Eu amo vocês a todo o momento e com tudo mais que eu tiver direito, afinal vamos ser nós que vamos sentas aquelas criancinhas, filhos de nossas criancinhas no tapete de sala e começar a contar quase todas as historias possíveis e impossíveis que se possa imaginar, e esperar com uma bela gargalhada tudo passar outra vez.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Meu querido canalha

Sempre sonhei em conhecer uma mulher como Adriana. Agora que eu a tinha diante de mim, nua, a meu pés, eu a comia como se ela fosse a minha última ceia. Passava horas devorando cada pedacinho dela. Queria que o tempo parasse, como numa fábula grega, para que eu passasse séculos ali dentro daquela mulher.
Com Adriana, pela primeira vez, experimentei a sensação de me submeter aos desejos de uma mulher. Fazia tudo o que ela me pedia. Percebi que isso a excitava. E comecei a brincar com a urgência dela, como se eu não tivesse urgência alguma. Deixava que ela me devorasse até o aniquilamento, o êxtase. Só então manifestava a minha fome, o meu desejo de comê-la. Então como a maior parte das mulheres é capaz de fazer, ela se acendia de novo como uma fogueira, e nós ardíamos juntos, gritando (...)

Segredinho

























Eu gostei tanto dessa foto.
Mostrou quase um verdadeiro eu!
Todos me conhecem de um maneira, quando na verdade eu sou outra.
Não que eu tenha criado um personagem ou algo do tipo
apenas acho que minha vida só passa a ser melhor desse modo.
Se você se mostrar demais perde a graça e se mostrar o seu lado sensível, fica vuneravel demais as coisas ruins do dia-a-dia.
Eu vou contar um segredo, mas é um segredo viu?!
Eu sou extremamente chorona, choro com tudo mesmo, sabe aquelas meninas que se assistem ao mesmo filme 10 veses e sempre choram no final? sou eu! (mas é segredo)
As veses eu sinto raiva de mim por ser tão melancólica
mas eu não consigo mudar essa parte em mim, muitas eu já mudei mas essa é o grande X da questão. Eu acho que peguei essa parte geneticamente da minha mãe, aff, tinha que ser uma mulher pra colocar esses "defeitos" na gente, era pra eu ter ficado com o lado durão do meu pai... mas será que ele é durão mesmo? porque em certas, ta bem em muitas coisas eu só igualzinha a ele, na ignorância, no modo de agir, no modo de falar, menos na inteligência, eu sou mais.
Pois é, olha só o que uma foto me fez escrever, me fez até rir logo após ao acordar (coisa que eu odeio), gente chata e assumida é assim mesmo.

sábado, 1 de agosto de 2009

Segue o filme e a história da campanha Free Hugs, iniciada na Austrália.

A história de Juan Mann. Há um ano, Juan Mann era só um homem estranho que ficava parado no Pitt Street Mall em Sydney, Austrália, oferecendo abraços de graça para as pessoas que passavam pelas ruas. Um certo dia, Mann ofereceu um abraço a Shimon Moore, o líder da banda Sick Puppies e, desde então se tornaram bons amigos. Um certo dia Moore decidiu gravar Mann fazendo sua campanha por 'Free Hugs'. Na medida em que o Free Hugs atingia proporções maiores, o conselho da cidade tentou banir a campanha . Então Mann e seus amigos fizeram uma petição com mais de 10.000 nomes apoiando a campanha do abraço de graça. Quando Mann morreu, Moore decidiu mixar o vídeo que ele tinha feito do Free Hugs com a música All the Same, que ele havia gravado com a sua banda Sick Puppies. O filme apresenta uma verdadeira história que inspira humanidade e esperança. Algumas vezes um abraço é tudo que precisamos. Free Hugs é uma história real, sobre um homem que acreditava que sua missão era trazer alegria à vida e às pessoas através de um abraço. Note que o vídeo é em preto e branco e só ganha cor após Juan Mann receber o seu primeiro abraço. Ligue o som, a música também é linda !!

video